Foto 3 Video FB Rosa María.jpeg
KUNDALINI YOGA PARA MULHERES EM CÁRCERES

Conheça o seva de aulas de Kundalini Yoga para mulheres em cárceres no Peru, uma iniciativa que nasceu em 2009 e oferece às detentas das prisões de Lima a prática da yoga como uma ferramenta para promover o cuidado de sua saúde e dar apoio para lidarem com a privação de liberdade.

NOME DO PROJETO: Aulas de Kundalini Yoga para mulheres em cárceres

PAÍS: Peru
CIDADE: Lima 

DESCRIÇÃO: Práticas de Kundalini Yoga e meditação através do meio online para detentas de seis presídios no Peru, incluindo uma penitenciária de segurança máxima.

PÚBLICO: Mulheres cárceres

ANO DE INÍCIO: 2009

RESPONSÁVEL: Abhai Jiwan Kaur

PARA APOIAR O PROJETO, ENTRE EM CONTATO:

fuccelli@gmail.com

ENTREVISTA

Há mais de doze anos, o projeto de seva de aulas de Kundalini Yoga para mulheres em cárceres no Peru oferece às detentos de Chorrillos (ex Santa Monica) e o Anexo de Chorrillos (Segurança Máxima) a possibilidade de praticar Kundalini Yoga semanalmente. Tudo começou com a iniciativa de um grupo de instrutoras da Kundalini Yoga de compartilhar esta técnica com as detentas. 

 

"Durante vários meses, tomamos todas as providências necessárias para iniciar este seva. Não foi fácil, mas estávamos convencidas de que os enormes benefícios da ioga seriam muito importantes na vida dessas mulheres, como de fato tem sido". *

 

Desde então um grupo onde em média transita dez sevadars, todas mulheres, segue atuante, oferecendo yoga e meditação como ferramentas para apoiar as detentas a lidar da melhor maneira possível com a privação de liberdade, o anseio por suas famílias e o sentimento de pertencer a uma sociedade que não as leva em conta. 

 

No diálogo com as sevadars  fica claro que esta é uma iniciativa que se destaca por seu trabalho em equipe, perseverança e compromisso. Não é à toa que elas conseguiram continuar atravessando todos estes anos, superando e adaptando-se a todos os tipos de desafios, incluindo, mais recentemente, a pandemia. 

 

"Foi muito difícil termos que suspender o projeto no início da pandemia, justamente quando sentimos que as detentas mais precisavam do que estávamos ofertando. Procuramos outras formas de apoiá-las nesse período, por exemplo, fornecendo artigos de higiene pessoal, que por serem artigos disponibilizados  por suas famílias, elas se viram privadas, visto que as visitas foram suspensas desde o início da pandemia.”

 

"Não podemos dizer que paramos nossas atividades durante a pandemia", diz outra participante, "porque foi um tempo de espera e reflexão que também aproveitamos para finalizar um manual que já projetávamos ofertar às detentas para que elas pudessem sustentar sua prática de forma mais autônoma".

 

Hoje, em aliança com o INPE (Instituto Penitenciário Nacional do Peru), elas conseguiram adaptar as aulas de Yoga ao formato online, estendendo assim seus serviços às detentas nas prisões de todo o Peru: prisões de Iquitos, Arequipa e Moquegua. Elas também começaram a oferecer aulas online para penitenciários da prisão de San Juan de Lurigancho, ambas em Lima

 

Há inúmeras maneiras nas quais este Seva acontece e impacta a realidade daquelas a quem serve. Há detentas que praticam Kundalini Yoga há mais de dez anos, especialmente aquelas com sentenças mais longas. Outras, como algumas detentas da prisão com penas menores, compartilham conosco como isso lhes deu resiliência, um impulso para lidar com essa realidade de uma forma "mais gentil", ou mesmo a perspectiva de continuar…

 

Ao final, todas as sevadars afirmam com gratidão e humildade que recebem muito mais do que dão, além de ganharem em consciência e crescimento pessoal.

 

"Esta Seva me permitiu refletir sobre o que entendemos por liberdade e confinamento e me perguntar por que existem prisões em nossa sociedade". 

 

"Enquanto esses espaços (prisões) existirem, estamos indo mal como sociedade; e enquanto não pudermos acabar com eles, é necessário cuidar da dignidade de todos os seres que os habitam". 


 

*Memórias 10 Anos Kundalini Yoga. Prisões para mulheres, Lima. 

 

Se deseja apoiar esse projeto de Seva, entre em contato com Abhai Jiwan Kaur, através de:

 fuccelli@gmail.com